9º Batalhão da PM realiza Solenidade alusiva à Revolução de 1932

foto 1_PM

Da esq. à dir.: Major Bigeschi, Sr. Antonio, Cel Marcelo e Major Boldrin

Único combatente ainda vivo no interior paulista, esteve presente na Solenidade sob o comando do Ten. Cel PM Marcelo Martins. 

POR KARINA CASTILHO

Foi realizado nesta quarta-feira, dia 8 de Julho, a tradicional Solenidade alusiva à Revolução Constitucionalista de “9 de Julho de 1932”. O evento aconteceu no 9o Batalhão da Polícia Militar de Marília-SP. Militares, autoridades e jornalistas estiveram presentes na solenidade, onde merecido destaque ficou para o Sr. Antonio Andrade Guimarães, herói da Revolução Constitucionalista. Consta que o Sr. Antonio, aos 103 anos, é o único combatente vivo no interior paulista. “Além dos heróis do Município e da Região já falecidos, nós também temos um herói vivo, que é o “Seu Totó”, como carinhosamente é chamado. Ele é uma pessoa extremamente dedicada que desenvolveu um excelente trabalho durante sua vida toda e participou do movimento (Revolução de 1932). A Polícia Militar de Marília-SP, faz questão de realizar uma solenidade para relembrar este período e especialmente para destacar a pessoa do Sr. Antonio”, enfatizou o Ten. Coronel PM Marcelo Martins. 

Militares durante a execução do Hino Nacional

A abertura oficial da solenidade foi proferida pelo Sgt Garé, que fez a leitura do manifesto escrito pelo General Júlio Marcondes Salgado, seguido pela execução do Hino Nacional. Sob os acordes de “Paris Belfort”, também foi destacado simbolicamente os heróis que para sempre terão suas memórias cultuadas em solo paulista, são eles: Nelson Spielmann, Saturino de Brito, Vicente Ferreira, Ercidio Felix Guimarães e Domingos Simões Mathias. Depois, a execução do Toque de Silêncio, brilhantemente tocada pelo Cb PM Rodrigues (9o Batalhão), fez todos renderem-se a emoção. Ainda que em ato simbólico, era possível ver em cada face, o sentimento de respeito e gratidão.

foto 2_PM

Sr. Antonio agradecendo ao Cel Marcelo e seus soldados por toda homenagem prestada a ele.

Com a palavra, Coronel Marcelo homenageou o combatente e convidado de honra, Sr. Antonio, conferindo a ele o Certificado de Agradecimento por sua dedicação e serviço. Juntamente com o Coronel, Major Bigeschi, Subcomandante, e Major Boldrin, Coordenador Operacional, também prestaram suas homenagens em reconhecimento ao bravo combatente. Ao receber o Certificado, com toda a educação e simpatia que lhe cabem, agradeceu a todos por este reconhecimento; humildemente enfatizou o quanto é grato por tal demonstração de afeto, hombridade e honra.

Foto 11_PM

Aos 103 anos, “Seu Totó” esbanja saúde e alegria. É contagiante conversar com ele e ouvir seus relatos. Um herói!

Eu lembro que ninguém ficou sem ir à Revolução. O dia em que “estourou” a Revolução de 32, o povo todo já estava no movimento; coisa que jamais vai acontecer. O povo ficou todo magnetizado! Um dia eu entrei no bar e pedi um café com leite e um pão com manteiga; às vezes eu gostava de mortadela também e pedia para colocar no pão (risos). Mas quando eu ia pagar ninguém cobrava. Eles diziam: ‘Tudo por São Paulo’. O policial era muito honrado pela sociedade, respeitado e querido”, relembrou Sr. Antonio.

******************************

 

REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA de 1932

Foi o movimento armado ocorrido no Estado de São Paulo, que tinha por objetivo derrubar o governo provisório de Getúlio Vargas e a promulgação de uma nova constituição para o Brasil. A “Guerra Paulista” ou “Revolução Constitucionalista de 1932” foi a primeira grande revolta contra o governo de Getúlio Vargas e o último grande conflito armado ocorrido no Brasil. No total, foram 87 dias de combates (de 9 de Julho a 4 de Outubro de 1932 – sendo os últimos dois dias depois da rendição paulista), com um saldo oficial de 934 mortos, embora estimativas, não oficiais, reportem até 2200 mortos, sendo que numerosas cidades do interior do Estado de São Paulo sofreram danos devido aos combates. São Paulo, depois da revolução de 32, voltou a ser governado por paulistas, e, dois anos depois, uma nova constituição foi promulgada, a Constituição de 1934.

Atualmente, o dia 9 de Julho, que marca o início da Revolução de 1932, é a data cívica mais importante do Estado de São Paulo e feriado estadual. Os paulistas consideram a Revolução de 1932 como sendo o maior movimento cívico de sua história.

You may also like...

4 Responses

  1. José Carlos Albuquerque diz:

    Brilhante trabalho muita clareza objetiva parabéns.

    • Karina Castilho diz:

      Ola Sr. Albuquerque. Obrigada por visitar o site e ler a reportagem. Saitisfação em ter o senhor por aqui.

  2. Lincoln de Oliveira Lima diz:

    Parabéns, Karina, por além de divulgar as homenagens feita pela Polícia Militar, também sintetizou esse feito heróico paulista. Pena que muitos apenas olham o calendário e só conseguem enxergar mais um dia de feriado, sem ter sequer uma visão do que foi esse grande marco na história do Estado de São Paulo e de muitos de seus municípios.

    • Karina Castilho diz:

      Obrigada, Cel Lincoln. A Revolução de 1932 é realmente um feito heróico para o Estado de São Paulo e, além de presenciar um pouco das homenagens prestadas pela PM, tive o prazer de conhecer o Sr. Antonio – um combatente ainda vivo no interior paulista. “Seu Totó” é radiante e relembra de muitos fatos daquela época. Ah, se todos pudessem ouví-lo; se todos pudessem entender e reconhecer que não se trata apenas de um feriado. Abraço, volte sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>